Tecnologias para a educação infantil, como lidar?

É inegável que nossas crianças já estão nascendo imersas em um universo digital. Nesse sentido, o uso da tecnologia na educação infantil deve ser um aliado para despertar a sua curiosidade e estimular seu desenvolvimento motor e sua linguagem.
Seu uso deve ser intencional e planejado, e o seu foco deve ser sempre a melhoria da qualidade do aprendizado. Você sabia que o uso da tecnologia é um dos fatores que os pais consideram na hora de escolher uma escola?

Por que usar a tecnologia na educação infantil?

Essa é considerada a fase mais importante no desenvolvimento e no aprendizado do ser humano, por isso é necessário dar a ela uma atenção especial. Os alunos nessa idade têm sido conhecidos por serem a geração de nativos digitais.
A tecnologia faz parte da vida das crianças desde muito cedo. Mesmo antes de saberem ler ou escrever, elas já têm domínio sobre muitas tecnologias. Essas habilidades e competências são adquiridas fora do ambiente escolar. Não incentivar o seu uso nas escolas é negar sua presença na vida dos alunos, o que é um grande erro.
Seu uso no processo de ensino e aprendizagem tem o objetivo de atuar como parceiro na educação, deixando-a mais moderna, tornando os materiais didáticos mais atraentes para os alunos e estimulando o aprendizado.
Ele deve ser parte do PPP (Projeto Político Pedagógico) da escola e ser orientado de forma a estar apropriado à idade da criança e ao seu desenvolvimento. Além disso, deve-se levar em consideração seu contexto cultural e social. Ocorrer de modo positivo, seguro, responsável e inclusivo é essencial para ter um bom resultado.
Os educadores devem estar abertos a novas experiências. As escolas têm a responsabilidade de proporcionar a capacitação necessária para que eles utilizem de maneira correta as tecnologias educacionais.

Texto retirado de fonte externa, Clique aqui para conferir na íntegra


Ideias para uma Educação Responsável

Estilo educacional participativo

Com as práticas mais bem-sucedidas, os pais que seguem esse modelo estabelecem regras claras para ensinar valores aos filhos e apresentam consequências no caso de algum regulamento ser quebrado. Entretanto, não deixam que isso interfira nas demonstrações de amor pela criança. “Eles educam dando muito apoio, atenção emocional, estrutura positiva e direção para os filhos”, aponta Lídia.
E o tempo de qualidade aliado ao diálogo são as chaves para que mães como a assessora de eventos Lubia Cristina Stabach consigam isso. Preocupada com a educação dos pequenos Lohan e Lincoln, de um e três anos, ela explica tudo aos meninos e faz questão de passar momentos especiais diariamente com eles para conversar a respeito do que podem, ou não, fazer. “Assim, entendem que os limites existem porque queremos o melhor para eles. Afinal, os amamos e protegemos”, afirma a curitibana, que também faz questão de ouvir os garotos. “Inclusive, quando o mais velho vê que outros da mesma idade fazem algo que não permito, ele me questiona, eu explico e ele entende”.
De acordo com a pesquisadora Lídia Weber, esse relacionamento de carinho e preocupação faz com que os pais consigam acompanhar o dia a dia dos filhos, estabelecer regras e transmitir valores morais às crianças com mais facilidade. Só que, para isso, pai e mãe devem sempre colocar em prática o que ensinam. “Precisam ser exemplos de comportamento ético, daqueles que fazem o filho levar ao porteiro a figurinha perdida que encontrou no chão do condomínio”, exemplifica, ao afirmar que os pequenos educados dessa maneira se sentem valorizados, desenvolvem boa autoestima, habilidades sociais satisfatórias, resiliência e ainda têm melhor desempenho acadêmico." Leia mais em: https://www.semprefamilia.com.br/pais-e-filhos/negligente-autoritario-permissivo-ou-participativo-que-tipo-de-pai-e-mae-voce-e/ Copyright © 2020, Gazeta do Povo. Todos os direitos reservados.

Realidade Aumentada: o que é e como usá-la na educação do seu filho

A Realidade Aumentada é uma tecnologia que permite a interação entre o ambiente real e o ambiente virtual, dando uma nova perspectiva de relação entre estes dois mundos. É como se fosse uma extensão do mundo real simulada. Coisa do futuro? Não é não. A revolução digital e, junto com ela, a RA estão transformando e sendo transformadas na forma como as crianças aprendem. Ela está cada vez mais presente nas escolas e nas maneiras de estimular o desenvolvimento infantil, desde as salas de aula, até em casa e nos shoppings

Interdisciplinariedade: Conexões que fazem acontecer

Brincar ao ar livre. Ler livros. Aprender com jogos educativos. Descobrir um mundo de possibilidades no tablet ou numa folha de papel. Unir o ambiente do quarto com a família e os amigos ao – tão encantador diante dos olhos da criança – mundo digital utilizando a realidade aumentada. São estas conexões que proporcionam aos pequenos das novas gerações um aprendizado leve e muito mais efetivo.
Quem aplica com êxito a interdisciplinariedade no seu modelo de educação, é a Finlândia. Referência no mundo todo, o modelo educacional da Finlândia é baseado na formação interdisciplinar, por meio da tecnologia, da cidadania e da inovação.

https://leiturinha.com.br/blog/realidade-aumentada-o-que-e-e-como-usa-la-na-educacao-do-seu-filho/


Vídeos Educativos

MAPA DO SITE

CONTATOS:
Rua Cel Francisco Galvão 769
Piedade - Jaboatão dos Guararapes - PE
cep 54310-250

+55 081 3034.7750
+55 081 9.9964.4310
gafcstudio3d@gmail.com